Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Boca – El Caminito de uma grande afiction




Boca, um bairro muito pobre!
Provavelmente o único bairro mesmo pobre da cidade.
Um gueto, certamente a origem de todos os descamisados da cidade
A partir da Praça Lezana, mudam as coordenadas do mundo porteño; as ruas transformam-se num cenário quase igual às pobres cidades centro-americanas: casas pobres, sujas e feias, estradas com um asfalto gasto e quebrado, ruas sem saída nenhuma, baldios que penetram e envolvem o bairro, gente que não olha de cabeça erguida, pouca gente nas labirínticas vielas, um perigo eminente para turistas que não se aperceberam da fronteira que atravessaram, impossível de adivinhar nos mapas da cidade!
Aparentemente nos afirmam, droga, criminalidade e alguma violência ocasional…excepto quando submergem as grandes paixões.
Aí, tende a piorar.
Uma grande paixão: Boca Juniors
Um herói quase mítico: Maradona

Um estádio que nos deixa com sentimentos contraditórios: básico e antigo, assustador (quase selvático) de arames farpados que cobrem o peão em pé; pujante na afirmação com o bairro e com o povo, emoção que se respira em torno do estádio e dos aficionados que não o abandonam…nunca, como uma pala (será uma asa?) protectora, as marcas dos pés das vedetas no passeio de cimento que circunda o estádio – o verdadeiro passeio das estrelas popular, porque não há ouro, nem assinaturas fancy, só cimento e a marca do verdadeiro sustento deste bairros: os pés dos ídolos!

Tal como os heróis, o bairro não é seguro. Demasiado popular, para todos os restantes habitantes da cidade
À medida que tombamos para o porto, cada vez mais um dinossáurio cemitério de navios enferrujados, a solidão das ruas, a ausência de passeantes (tínhamos subitamente mudado de cidade, de planeta) deixa antever um mal-estar, um desconforto na espinha, para quem se perder neste labirinto de pobreza e, sobretudo, descamisados, ausência de referências e de alternativas.
Linhas de comboio abandonadas, baldios dentro do bairro, confundidos no bairro...
Bairro ou baldio?
Subitamente…

El Caminito, a versão popular visitável: 60 metros de barracões de lata, encavalitados numa imaginária montanha de cor e um espectáculo de rua que respira Buenos Aires: alegre, insinuante e provocante, criativa, artista, plena de diversidade e sem vergonha de si mesmo, dos seus traumas e alegrias, tango de rua sem complexos…
Tínhamos retornado à cidade!

O tipo de boca desdentada e perfil distintivo Boca, vestido de colete amarelo berrante, TAXI nas costas, e ele assobiava e os táxis apareciam, apreciava a camisola 10 do Boca, versão 1981.
- É a primeira camisola de Maradona! Tenho uma igual, que está cheia de sangue!
Alguém terá querido saber de quem era o sangue?