Pesquisar neste blogue

domingo, 6 de agosto de 2017

Fantasias ocidentais





« A febre orientalista que se espalhou pela Europa no início do século XIX, conduziu a uma representação romântica de Marrocos, arquétipo de um Oriente por vezes fascinante e outras vezes, repousante.
Mas as fantasias ocidentais serviram igualmente a colonização…
No início do século XIX, os ocidentais são dominados pela ambição colonialista. No entanto, do Oriente em geral e de Marrocos em particular, eles não sabiam nada, ou quase nada.
Para eles, Marrocos não era mais do que uma parte do Oriente, sem caraterísticas próprias, descrito como um império hostil e fechado sobre si mesmo. Cientistas e exploradores, mas também artistas e romancistas são chamados a contribuir para levantar o véu do mistério do Oriente.
Estes “orientalistas” lançam-se, de alma e coração, naquilo que acreditavam ser um estudo racional e rigoroso da enigmática sociedade marroquina.
Mas o etnocentrismo é tenaz. Os europeus veem o modo de vida dos marroquinos através do prisma das suas fantasias.
Com o objetivo de criar sensação, os orientalistas apenas descrevem os costumes que consideram mais insólitos e estranhos.”


In folha de sala MACM – Musée d’Art et Culture de Marrakech