Pesquisar neste blogue

sábado, 19 de dezembro de 2015

Pure Nature

A olhar para este mar e para este céu, ganho coragem e peço ao Pai Natal um pedaço de deslumbramento.
E eu, que logo de manhã, adivinhava esta luz de presépio, um cinzento cheio de tons e um barulho de ondas redentor.
Uma hora de pura natureza ao vento, foi o suficiente para restabelecer todos os equilíbrios. 
Há quem afirme que depois da tempestade vem a bonança mas é a tempestade que desperta os sentidos, e nem mesmo o tipo que me seguia desde a estação de olhar guloso para a minha máquina, me conseguiu estragar a tarde.
Afinal de contas, todos temos direito ao puro fascínio de uma natureza que se agiganta perante a perspetiva de uma tempestade no mar.