Pesquisar neste blogue

domingo, 17 de maio de 2015

Muito para além do Transiberiano


Olhar para longe ajuda-nos a ver muito para além da nossa efémera existência...em que os grandes deuses Vishnu e Shiva estão adormecidos


O Oriente tem este efeito sobre nós, distante como uma galáxia, incompreensível como o que está para lá do sistema solar, desconstruindo-nos entre visões de uma espiritualidade quase insana e construções de uma desproporção, aos nossos olhos de ocidental sensível, burlesca
Mesmo grotesca.


in INFINISTERRA - Museu do Oriente

É desconcertante a fúria pela ocupação de espaços, pela construção de locais que um dia serão povoados pelo crescimento demográfico




São inspiradoras as formas ancestrais de partilha e de vida comunitária, todas as tendências cobertas pelos céus carregados de chumbo e pela neblina branca que invade os vales e os rios da nova pátria imensa...


...e de novo a procura da transcendência, por arrependimento ou pela certeza da série de existências físicas sucessivas...

Na vizinhança do (quase) mesmo espaço físico revelam-se, em profunda contradição terrena os vizinhos que já têm recordações da vivências posteriores...




...e não existe uma maneira simples de explicar os graus de liberdade de um sistema de crenças tão complexo como a burocracia que permite o improviso e multiplica o caos...



...e um despojamento que é também resignação, aceitação "Rama decidiu aceitar esta perda como fruto da impermanência da vida"



Muito para além da linha do Transiberiano (e da nossa capacidade de compreensão), habitam os seres do além...e nós tendemos a nos reduzir à insignificância perante a galáxia...