Pesquisar neste blogue

sábado, 17 de janeiro de 2015

Não há dias cinzentos



Não é todos os dias que te chamam estrela (mesmo que no abstracto), e que te dizem que as estrelas não estão no céu mas sim diante de nós, ou nós diante deles, mais, que as outras estrelas (as que estão no céu), previram mal a nossa desgraça a nós, que estamos vivos e atentos.
Por isso não há dias cinzentos.
Lá fora, as nuvens negras assolam o vento cortante de norte e a tempestade fustiga o horizonte.

Cá dentro, indiferente ao que nos rodeia, acendem-se leds e instala-se uma noite sob o signo das estrelas.