Pesquisar neste blogue

domingo, 10 de março de 2013

Príncipe Real District


Regressados à superfície no jardim das Amoreiras, perco-me outra vez na alma surrealista de Arpad Szenes – Vieira da Silva que me confunde os sentidos, não fosse a magnífica força interior e fotográfica da reportagem sobre os desastres de guerra da transmontana Graça Morais.
E assim começa o roteiro da arte, do requinte e do vanguardismo que assola as colinas da Lisboa de design de autor em todas as fachadas e interiores com vista para o vale e para a cidade.
Uma grande e colorida vista desafogada sobre o mundo

Retomamos aqui a vida terrena com todo o esplendor do Sol de Março!